Chile no inverno: Roteiro de 11 dias

Frio, neve, paisagens incríveis e vinho barato! Veja nesse post uma sugestão de roteiro para conhecer o Chile no inverno em 11 dias. Sem correria, sem stress, aproveitando o melhor desse país sul-americano.

Quanto tempo ficar

Pelo menos 1 semana! Obviamente se ficar esse período curto terá que reduzir muito o roteiro. Quando viajei pro Chile em 2016 fiquei 14 dias, mas com alguns erros. Talvez tenha ficado tempo demais em Santiago, embora a capital chilena tenha muitas coisas para fazer. Também considero que foi tempo insuficiente em Pucón, que falarei mais a seguir.

Considerando essa experiência e o objetivo de conhecer a capital, as montanhas e um pouco do extremo Norte da Patagônia, minha sugestão de roteiro será de 11 dias.

Época pra viajar para o Chile

É possível viajar para o Chile o ano inteiro. E a melhor época vai depender o que você deseja ver e fazer.

Se você quiser ir para a Patagônia, definitivamente o inverno não é a melhor ideia. Considere ir entre novembro e abril. 

De forma similar, o deserto do Atacama pode ser mais conveniente na primavera ou outono. Isso porque a amplitude térmica é menor, embora o inverno não seja impeditivo para viajar pra lá.

Apesar disso, nem a Patagônia nem o Atacama são o foco desse roteiro do Chile no inverno. Nesses 11 dia, o foco será conhecer a capital chilena, as montanhas e o extremo Norte da Patagônia, mais precisamente Pucón.

Dessa forma, a melhor época para conhecer esses lugares é no inverno. Considerando que o ski/snowboard fazem parte desse roteiro, os melhores meses para viajar são julho e agosto, apesar disso, é possível encontrar neve de abril até setembro.

Em nenhuma época o frio é tão intenso a ponto de não ser recomendada a viagem para essas regiões. Isso é diferente se você pretende conhecer a Terra do Fogo e o Sul da Patagônia.

Cidades para conhecer no Chile no inverno

Para os 11 dias propostos nesse roteiro, optamos por essas cidades/locais:

Obviamente se você gosta muito de esquiar, deve aumentar esse tempo na montanha. Por outro lado, para aqueles que não são adeptos ao esporte e nem querem arriscar o seu cóxi em um teste de resistência (se você nunca esquiou vai cair muitas vezes!), apenas um dia na montanha já será o suficiente. Falarei mais sobre o rolê na montanha abaixo.

Para efeito de simplificação, vamos tratar qualquer uma das opções de estação de esqui (Vale Nevado, Farellones, La Parva, etc) como “montanha”.

Como se locomover entre as Cidades

O Chile possui excelentes rodovias, ônibus de qualidade e passagens rodoviárias muito baratas. Dessa forma, a locomoção terrestre pode ser uma opção a ser considerada. Apesar disso, quando falamos em distâncias superiores a 300km (3 a 4 horas), de forma geral sempre prefiro ir de avião para evitar o cansaço da viagem e tempo desperdiçado.

Para chegar até a montanha, evidentemente avião é uma opção inexistente. A melhor forma de chegar até lá é via ônibus ou van, ambos fretados. Esse transporte pode facilmente ser contratado em Santiago.

Alugar um carro seria uma outra opção, mas lembre-se que essa época do ano provavelmente haverá neve ou gelo em algum (ou muitos) lugares na estrada. Dessa forma, as condições ficam menos seguras, especialmente para nós brasileiros que não estamos acostumados a dirigir sobre esse tipo de piso. Se essa for a sua opção, talvez você precise de correntes para os pneus.

Roteiro Chile no inverno

A forma mais fácil de chegar no Chile é via Santiago. Aliás, como a LAN (que se junto com a TAM e se transformaram em LATAM) tem origem no Chile, as passagens para lá são uma das mais baratas na América do Sul, com muitas opções de voos.

A sequência sugerida para a minha viagem é: Brasil – Santiago – Montanha – Temuco – Pucón – Temuco – Santiago – Brasil.

Roteiro Chile
Aéreo (Trecho Azul) / Terrestre (Trecho vermelho)

Por que Temuco? Sim, não falamos nada sobre essa cidade até agora. Entretanto, se a sua opção para chegar em Pucón for via aérea, você terá que primeiro ir para Temuco e de lá pegar um ônibus até Pucón (110km, cerca de uma hora e meia).

Aliás, a depender que horas o seu voo chegar em Temuco, talvez valha a pena pernoitar lá e seguir para Pucón no dia seguinte. Caso você faça isso, você pode aproveitar para conhecer o Casino da cidade. Nada de tão especial ou glamuroso, mas é uma forma aproveitar a noite.

Esquiar no Chile

Para nós tupiniquins que na grande maioria o que chegou mais perto de esquiar foi em alguma duna de areia do nosso litoral, esquiar pode parecer um grande desafio. Apesar disso, diferente do que parece, esquiar nem é tão difícil assim.

Ok, nem todas as pessoas levam jeito, mas quase todos podem aprender. Em geral, a maioria das pessoas que já conversei, conseguiram aprender relativamente rápido.

Minha experiência esquiando

A minha primeira (e única, ainda!) experiência esquiando foi exatamente no Chile. Basicamente fiz uma aula em grupo de 1 hora para aprender umas dicas básicas e depois fui direto para a pista (obviamente que fui numa pista tranquila, nível iniciante). Sim, no começo foram muitos tombos.

snowboard no chile

Após umas 3 ou 4 horas subindo e descendo aquela pista, posso dizer que já estava conseguindo economizar o meu cóxi dos tombos iniciais. Como sou brasileiro, e não desisto nunca, fui para o meu segundo dia na montanha.

Posso dizer que logo no início desse segundo dia já comecei bem. Entenda bem como conseguir descer a pista com mais tranquilidade, praticamente sem tombos e numa velocidade razoável. Enfim, você sabe que está evoluindo quando começa a ultrapassar as outras pessoas 😛

Então, mesmo que você nunca tenha praticado, minha opinião é que vale muito a pena e o aprendizado é rápido. Na verdade, a sensação que tive logo no primeiro dia foi algo do tipo “meu Deus, como eu nunca fiz isso antes?”.

Ficar na montanha ou em Santiago?

Eu subi e desci a montanha nos dois dias. Na verdade, o meu plano inicial era esquiar somente um dia, por esse motivo voltei para Santiago. Então a minha recomendação é que, se você for esquiar, fique no mínimo dois dias e se hospede na montanha. Isso vai lhe economizar algum tempo de estrada (não é muito longe, algo como 1 hora e meia, a depender de onde você sai de Santiago) e energia.

Além disso, o lugar é sensacional, uma paisagem que não estamos acostumados por aqui. Apesar de ficar um pouco mais caro ficar por lá, penso que vale muito a pena.

Chile no inverno

Vale a pena subir a montanha mesmo se não for esquiar?

Sim. Com certeza sim! O lugar é sensacional, paisagem e clima único. Se você nunca foi numa montanha coberta pela neve, tenho certeza que não vai se arrepender de conhecer pelo menos por 1 dia. Além disso, você pode alugar aquele mini trenó para escorregar em alguns “morrinhos de neve”.

Palavras finais

Viajar para o Chile no inverno é um excelente e fácil opção aqui perto de nós brasileiros. Sem dúvida vale muito a viagem em qualquer época do ano, especialmente no inverno, quando o país fica ainda mais charmoso e convidativo para tomar um café ou um bom vinho 😊

Comente, pergunte, conte a sua experiência!